Lição 7. O declinio do reino do sul. Conectar+ 4° tri

O reino do Sul tinha como capital Jerusalém e foi dada a Roboão por amor a Davi. Durante vários anos monarquia em Judá, ficou explícito o quanto a liderança se desviou dos caminhos do Senhor, induzindo o povo a cair em degradação moral e espiritual.

Diferente do reino do Norte, o reino do Sul teve reis ímpios que fizeram o que era mal aos olhos de Deus, porém existiu reis comprometidos com a Lei de Deus promovendo reformas fazendo o povo chegar-se novamente a Deus.

No reinado de Jerobão, sucessor de Josafá, houve apostasia e desgraça; seu reinado de oito anos foi sangrento e infeliz ao extremo (2Rs 8. 17-24). Os três últimos reis deste reino foram de total submissão à Babilônia até que por volta do ano de 586 a.C., Jerusalém foi destruída e o povo levado para a Babilônia.

Asista a video aula aqui

De todos os vinte reis que governaram Judá, alguns deles se destacaram por promover reformas e conscientizar o povo de eles precisavam obedecer às Leis de Deus. Ele está à porta desejando entrar e fazer morada no coração daqueles que ouve a Sua voz e abre a porta (Ap 3.20).

Baixe o slide aqui

Se este texto te foi útil, compartilhe com alguém, dê uma estrelinha e assine pra receber mais notificações.

Avaliação: 1 de 5.

Lição 4. O Espírito Santo no Novo Testamento (Slide)

Assista a video aula aqui

Se este texto te foi útil, compartilhe com alguém, dê uma estrelinha e assine pra receber mais notificações.

Avaliação: 1 de 5.

Lição 5 o Tabernáculo e a sua mensagem para a Igreja

•Deus chamou a nação de Israel para ser uma referência e tornar o nome de Deus conhecido. Assim também a igreja foi chamada para fazer o mesmo por Cristo.

Assista a video aula aqui

Deus quer que Ele seja a nossa prioridade, se importa com o nosso coração e se de fato entendemos que precisamos ofertar.

Entregar a Deus as primícias significa que honramos a Deus q(Mt. 6.33) Ou seja, colocamos o Reino em primeiro lugar

Baixe o slide aqui

Se este texto te foi útil, compartilhe com alguém, dê uma estrelinha e assine pra receber mais notificações.

Avaliação: 1 de 5.

Lição 4 A implicação teológica do Tabernáculo conectar+ 3° tri 2021

•Os detalhes do Tabernáculo revelam temas que seriam transformados em teologia tais como Soteriologia, Hamartiologia, Cristologia e outras

Assista a lição aqui

A REDENÇÃO üO tema aparece muitas vezes no Antigo Testamento, referindo-se aos ritos da “redenção” no tocante às pessoas ou aos bens (cf. Lv 25; Rt 3 e 4, que empregam a palavra hebraica ga’al). ü O “parente redentor” funciona como um go’el

O “parente redentor” funciona como um go’el. O próprio Javé é o Redentor (heb. go’el) do seu povo (Is 41.14; 43.14), e eles são os redimidos (heb. ge’ulim, Is 35.9; 62.12) üNo Novo Testamento, Jesus é tanto o “Resgatador” quanto o “resgate”; os pecadores perdidos são os “resgatados”. Ele declara que veio “para dar a sua vida em resgate [gr. lutron] de muitos” (Mt 20.28; Mc 10.45).

•O Tabernáculo era um santuário portátil construído sob as orientações divinas a Moisés. Ele é era o símbolo da autoridade de Deus sobre Israel e foi utilizado durante a peregrinação do Povo no deserto, como na entrada em Canaã até ser desativado na construção do Templo pelo Rei Salomão.

Baixe o slide da lição aqui

Se este texto te foi útil, compartilhe com alguém, dê uma estrelinha e assine pra receber mais notificações.

Avaliação: 1 de 5.